Logo
Menu
Fé sem fronteiras - Mt 8,5-11 (Ano A)
Domingo, 29 DE NOVEMBRO DE 2020

Novembro
2020

11

11

DOM
SEG
TER
QUA
QUI
SEX
SAB
  • 1
    [Dia 1] A parábola da grande festa - Lc 14,15-24
  • 2
    [Dia 2] Quem vem a mim eu não lançarei fora - Jo 6,37-40
  • 3
    [Dia 3] A ovelha perdida - Lc 15,1-10
  • 4
    [Dia 4] A parábola do administrador desonesto - Lc 16,1-8
  • 5
    [Dia 5] Quem é fiel nas pequenas coisas será fiel também nas grandes - Lc 16,9-15
  • 6
    [Dia 6] É grande a vossa recompensa nos céus - Mt 5,1-12a
  • 7
    [Dia 7] A fé - Lc 17,1-6
  • 8
    [Dia 8] O dever do empregado - Lc 17,7-10
  • 9
    [Dia 9] Jesus vai ao Templo - Jo 2,13-22
  • 10
    [Dia 10] Reino de Deus está no meio de vós - Lc 17,20-25
  • 11
    [Dia 11] A vinda do Reino - Lc 17,26-37
  • 12
    [Dia 12] Deus, não fará justiça aos seus escolhidos - Lc 18,1-8
  • 13
    [Dia 13] Servo bom e fiel - Mt 25,14-30
  • 14
    [Dia 14] Filho de Davi, tem compaixão de mim - Lc 18,35-43
  • 15
    [Dia 15] Jesus e Zaqueu - Lc 19,1-10
  • 16
    [Dia 16] As dez moedas de ouro - Lc 19,11-28
  • 17
    [Dia 17] Não deixarão em ti pedra sobre pedrada - Lc 19,41-44
  • 18
    [Dia 18] Minha casa será casa de oração - Lc 19,45-48
  • 19
    [Dia 19] A pergunta sobre a ressurreição - Lc 20,27-40
  • 20
    [Dia 20] O juízo final - Mt 25,31-46
  • 21
    [Dia 21] A mãe e os irmãos de Jesus - Mt 12,46-50
  • 22
    [Dia 22] Sou eu - Lc 21,5-11
  • 23
    [Dia 23] Perseguições e sofrimentos - Lc 21,12-19
  • 24
    [Dia 24] Levantai-vos e erguei a cabeça - Lc 21,20-28
  • 25
    [Dia 25] As minhas palavras não passarão - Lc 21,29-33
  • 26
    [Dia 26] Ficai atentos e orai a todo momento - Lc 21,34-36
  • 27
  • 28
    [Dia 28] Vigiar e ser fiel - Mt 24,37-44
  • 29
    [Dia 29] Fé sem fronteiras - Mt 8,5-11
  • 30
    [Dia 30] Jesus chama os quatro primeiros apóstolos - Mt 4,18-22
Evangelho

Texto:

Quando Jesus entrou na cidade de Cafarnaum, um oficial romano foi encontrar-se com ele e pediu que curasse o seu empregado. Ele disse: - Senhor, o meu empregado está na minha casa, tão doente, que não pode nem se mexer na cama. Ele está sofrendo demais. - Eu vou lá curá-lo! - disse Jesus. O oficial romano respondeu: - Não, senhor! Eu não mereço que o senhor entre na minha casa. Dê somente uma ordem, e o meu empregado ficará bom. Eu também estou debaixo da autoridade de oficiais superiores e tenho soldados que obedecem às minhas ordens. Digo para um: "Vá lá", e ele vai. Digo para outro: "Venha cá", e ele vem. E digo também para o meu empregado: "Faça isto", e ele faz. Quando Jesus ouviu isso, ficou muito admirado e disse aos que o seguiam: - Eu afirmo a vocês que isto é verdade: nunca vi tanta fé, nem mesmo entre o povo de Israel! E digo a vocês que muita gente vai chegar do Leste e do Oeste e se sentar à mesa no Reino do Céu com Abraão, Isaque e Jacó.

Comentário:

Esta narrativa envolvendo a fé de um centurião é encontrada, com pequenas diferenças, no Evangelho de Lucas. Contudo é também encontrada no Evangelho de João, com vários pontos divergentes. Porém podemos perceber que todas têm uma origem comum na tradição surgida dentre as primeiras comunidades cristãs. A centralidade do episódio está em dois aspectos: o primeiro e principal aspecto é a grande fé de um gentio e o outro, a cura a distância. A fé do gentio opõe-se à incredulidade dos israelitas, e o gentio passa a tomar lugar na mesa do Reino. Jesus chama e acolhe a todos, sem eleitos nem excluídos. Jesus cura o servo sem ir à casa do centurião. A cura a distância soma-se à cura pelo toque, tão presente em várias outras narrativas. Esta fé operante, pela simples palavra de Jesus, supre a sua ausência sensível nas comunidades ao longo da história.
NEWSLETTER Cadastre-se e receba em seu e-mail nossos informativos
CADASTRAR
Newsletter
Endereço: Av. Luis Osório, nº 450
Acompanhe-nos: